27 de jul de 2010

Sauvé IV

mulher_andando_sozinha

Ele estava demorando demais.

O telefone tocou, corri para atender…

Uma mulher que se identificou por Baiana disse que viria aqui na casa dele buscar algumas coisas, com uma voz um pouco irritada ela me contou sobre a festa. Nesse instante soube por que foi ele que me encontrou.

(na verdade eu sabia que desde que fui feita e que a mágica foi me dada de presente que eu iria a quem necessitasse de mim, nunca entendi direito… Por que sempre que não precisavam mais, me descartavam.)

Mas eu esperei que ele voltasse, eu tinha esperanças, ele tinha me transformado em mulher, na verdade o que ele sentia tinha me transformado. Tive falsas esperanças de que ele voltaria… Mas não voltou.

O engraçado é que ele ja tinha despertado algo jamais sentido em mim, ja havia me tomado como sua, como ninguém jamais fez, mas eu tinha que me conformar, aliás eu estava livre, era uma mulher, não ia mais estar presa a ninguém, eu queria acreditar nisso, precisava.

Vesti a a minha roupa, guardei aquela camisola azul dentro do travisseiro dele. Ele iria ficar com uma lembrança minha. Decidi sair dali o mais rápido possível, peguei uma carona e assim fui indo até passar pela fronteira, ali eu sabia que estaria longe dele e conseguiria esquece-lo como ele ja tinha feito.

Decidi dizer a ele que eu não era mais parte da vida dele, que ele podia seguir em frente. E assim eu fiz.

Tinha que ser grata a ele, mesmo depois de me abandonar, afinal foi o que ele sentiu que me transformou permanentemente, embora eu tenha pensado que seria diferente, estava grata.

Me sinto um pouco fraca, mas continuo na minha jornada, voltei ao Brasil, e estou trabalhando em uma cidadezinha do interior..  ainda lembro dele, pois beijou minha boca como se quisesse arrancar meu coração!

Um comentário:

  1. Essa gratidão é muito importante... pois, apesar de tudo, seguimos nossas vidas... os amore se desfazem, mas permanece o que houve de melhor e nos fez crescer... acho isso muito importante... e quando se reconhece isso, acredito que, sim, somos mulher.
    O beijo dado na boca, como se quisesse arrancar o coração ficou lindo!

    Adorei!

    Beijos, flor!

    ResponderExcluir