17 de jul de 2010

Sauvé (parte II)

bocaEle está me carregando. Pra onde?

Parece que chegamos, não acredito, ele achou meus escritos, meu desabafo, como? Ninguém nunca havia enchergado nenhum escrito meu… Sempre fui como um ser sem vida.

Enquanto ele intretia-se lendo o que escrevi, me olhava no espelho… ao menos eu tentava… não poderia me dar ao desfrute de ser vista movendo-me… Nossa… como estou amarrotada, queria estar mais bela pra ele.

Ele virou-se muito rápido, ta me olhando de um jeito diferente, será que ele percebeu? Me pegou novamente nos braços, ajeitou meu vestido rasgado, e me pôs no colo. Que estranho, sempre fiquei nos braços de outros alguéns, mas nunca me senti assim. Ele sabia que eu queria me ver? Mas como? Ele parece pensativo…

O telefone tocou… (pela primeira vez ouvi sua voz…) Que voz era aquela, uma voz que me fez suspirar… Não pode ser… O QUE ESTA ACONTECENDO COMIGO…

Ele fez uma cara de espanto, o que será? (Será que me viu suspirar? ele ta saindo Espero que ele volte logo.)

Enquanto ele não volta eu me arrumo um pouco pra ele… Mas com calma, não quero que ele perceba que sou “diferente” das bonecas comuns…

Nossa parece que esse rapaz precede meus movimentos… (será que ele vai perceber que não me deixou sentada?)

Ele ta me olhando tanto… ninguém nunca prestou tanta atenção em mim.

Ufa… ele foi tomar banho…

Adoro a hora do banho, é quando as pessoas estão como em outra dimensão e é quando posso me libertar e cantar um pouco, escrever, me maquiar, me observar… Vou aproveitar que ele não está olhando. Pensando nele, lembrei-me de uma música que ele o rapaz que me costurou cantava quando fui feita ( uma lágrima me deu vida…) como era mesmo?

“Ontem ao luar nós dois em plena solidão,
Tu me perguntaste o que era dor de uma paixão.
Nada respondi calmo assim fiquei
Mas fitando azul do azul do céu  lua azul e te mostrei
Mostrando a ti dos olhos meus correr senti
Uma nívea lágrima e assim te respondi
Fiquei a sorrir por ter o prazer de ver a lágrima nos olhos a sofrer
A dor da paixão não tem explicação
Como definir o que só sei sentir”

O chuveiro fechou… será que ele me ouviu?

ele abriu o chuveiro de novo… vou cantar mais baixinho

“A dor da paixão não tem explicação
Como definir o que só sei sentir
É mister sofrer para se saber
O que no peito o coração não quer dizer
Pergunto ao luar travesso e tão taful
De noite a chorar na onda toda azul
pergunto ao luar do mar a canção
Qual o mistério que há na dor de uma paixão
Se tu desejas saber o que é o amor
Sentir o seu calor
O amaríssimo travor do seu dulçor
Sobe o monte a beira mar ao luar
Ouve a onda sobre a areia lacrimar
Ouve o silêncio a falar da solidão
De um calado coração
A penar a derramar os prantos seus
Ouve o choro perenal a dor silente universal
E a dor maior que a dor de Deus”

Ele fechou o chuveiro de novo… tenho que me controlar mais, não posso deixar que ele descubra que sou encantada (ainda da tento de me arrumar um pouco), que quando me sinto segura eu transformo-me… Que durante a noite eu sou UMA MENINA de verdade.. ele não vai dormir não? essa hora as crianças ja dormem, e eu posso me transformar e velar o sono delas sem problemas. Mas nunca velei o sono de um rapaz… Nossa olha ele, dá pra ver pelo espelho… Que corpo lindo, a água escorre pelo seu corpo e morre na toalha que lhe cobre da cintura pra baixo… o que mais seria diferente das meninas que eu ja conheci… Que volume é esse atrás da toalha…

Nossa… (se controla, se controla, ele vai perceber)

Ele viu, so pode… viu meu sorriso um tanto… malicioso eu acho..

Ele vai ficar parado?

Olha a hora.. so faltam cinco minutos e ele ainda não dormiu, e ta me olhando fixamente…

Um comentário:

  1. Pra mim, essa boneca tem voz de Marisa Monte, que canta essa música lindamente!
    rs

    Bjuus

    ResponderExcluir